Óleos de Motor de Veículos de Passageiro no Mundo Pós-COVID-19

Como a pandemia nos mudou! Nós não saímos tanto quanto antes, trabalhamos de casa (na maioria das vezes), vivemos de entregas de comida, e temos agora um maior apreço pela mãe natureza. A mobilidade pessoal de 2021 para frente também mudará. Neste artigo, discorremos brevemente sobre como a pandemia do COVID-19 impactou os veículos elétricos, caronas, e veículos autônomos, e o que isso significa para o mercado de óleos de motor para veículos de passageiro (PCMO, do inglês Passenger Car Motor Oil).

 

Veículos elétricos são imunes ao COVID-19


O mercado global de veículos elétricos (EV, do inglês Electric Vehicles) está chegando perto do ponto de inflexão em que as vendas de EVs superam as vendas de veículos a combustão interna (ICE, do inglês Internal Combustion Engine). Espera-se que isso ocorra mesmo em meio à inesperada contração no mercado causada pela pandemia do COVID-19. As vendas de EVs chegaram a aproximadamente três milhões de unidades, o que representa um crescimento de 40% comparado com as vendas em 2019, em contraste com uma perda de 15% nas vendas globais de ICEs. O crescimento das vendas de EVs é alto, em parte devido à uma base de vendas baixa, mas a divergência entre as vendas de EVs e de ICEs é reveladora.

A inesperada e alta resiliência dos EVs pode ser atribuída a um novo e presente estímulo dos governos, a um maior foco do consumidor em sustentabilidade, e a avanços tecnológicos acelerados, particularmente na área de tecnologia de baterias. Este último é um elemento chave na determinação do passo da transição para a mobilidade elétrica.


O que vem pela frente?


De acordo com as análises da Kline, a população de EVs – veículos elétricos à bateria (BEV, Battery Electric Vehicles), veículos híbridos plug-in (PHEV, Plug-In Hybrid Vehicles) e veículos elétricos híbridos (HEV, Hybrid Electric Vehicles) – devem crescer mais do que dois dígitos nos próximos 20 anos, representando, em 2040, 35% da população total de veículos de passageiros em um grupo selecionado de países (veja a imagem abaixo), em contraste com uma participação de 3% em 2020. A velocidade de transição varia de acordo com as regiões em consideração, com Europa e China exibindo a adoção mais rápida de EVs. Ainda, a sustentabilidade tornou-se um fator definitivo para o futuro desenvolvimento tecnológico e econômico na Europa. Após a primeira onda da pandemia de COVID-19 no primeiro semestre de 2020, vários países europeus, incluindo a Alemanha, a França e o Reino Unido, reforçaram suas intenções em alcançar um futuro neutro em carbono, incentivando a compra de veículos elétricos. Da mesma forma, o apoio governamental tem sido crucial no desenvolvimento da indústria de Veículos de Nova Energia da China. Em suma, a motivação para adotar EVs e o ritmo de difusão serão baseados em uma combinação de considerações, cada uma com um peso diferente para cada país. Essas considerações incluem foco na sustentabilidade e apoio a políticas, garantindo a competitividade dos setores automotivos nacionais e a disponibilidade de recursos energéticos.



Fonte: “The PCMO Market in 2040: A Long-term Outlook”, Kline Group.

O compartilhamento de caronas foi afetado diretamente, visto que estávamos presos em casa, mas as entregas de comida prosperaram já que estávamos fazendo os pedidos online.


Embora os serviços de compartilhamento de carona e pooling tenham vivenciado um rápido crescimento no passado, sua popularidade foi severamente prejudicada pela pandemia. Em geral, a pandemia prejudicou a receita dos provedores de carona em 2020 devido aos lockdowns agressivos impostos por governos em todo o mundo. Em alguns países como a Índia, serviços de mobilidade compartilhada foram banidos pelo governo, com exceção dos serviços de emergência. Em outros países, a maioria dos consumidores ficou com medo de usar esses serviços, devido a preocupações com o contágio, mesmo se as restrições de mobilidade fossem retiradas. Em curto a médio prazo, espera-se um impacto negativo da pandemia do COVID-19 na indústria de compartilhamento de carona – mas não são só pontos negativos. Com a maioria dos consumidores presa em casa, o hábito de pedir comida online cresceu robustamente, e os serviços de entrega de comidas compensou parcialmente o declínio no uso de veículos de passageiros – tanto que algumas empresas chegaram a criar “restaurantes fantasmas” para promover a entrega de alimentos. Se as restrições da pandemia perdurarem, pode haver uma mudança no comportamento do consumidor.


Veículos autônomos são um sonho para depois.


No estado atual de desenvolvimento, é difícil quantificar o impacto dos veículos autônomos (AVs, Autonomous Vehicles) na mobilidade pessoal e seu efeito sinérgico, com a implantação de veículos elétricos e, mais importante, com o impacto da pandemia nos AVs. Embora a pandemia possa ter impulsionado corridas sem motorista – devido às diretrizes de distanciamento social e às restrições de mobilidade –, o setor também observou uma menor disposição em investir em tecnologias AV. Os investidores estão focando em outras oportunidades que podem render no curto prazo. Com a iminente crise de emprego, os governos apoiarão essa tecnologia? A emergência de carros autônomos será sempre daqui a cinco anos? Só o tempo irá dizer.


A mobilidade elétrica está revivendo a inovação tecnológica e a necessidade de diferenciação.


Inevitavelmente, o crescimento de EVs tem o potencial de reduzir bastante o consumo de óleos de motor para veículos de passageiro, especialmente para BEVs sem motor, que não precisam de óleo de motor. A Kline estima um declínio em uma taxa anual composta de 1,0% na demanda de PCMO, que será puramente devido à redução do efeito da penetração de veículos elétricos na população de veículos de passageiros nos países selecionados cobertos no estudo. Por outro lado, o crescimento de EVs criará um novo mercado para fluidos de EVs. Esta nova geração de fluidos abordará os principais desafios apresentados pelo novo powertrain elétrico, que são: sustentabilidade (redução da pegada de carbono), características tribológicas e características térmicas. Os powertrains elétricos exigirão o desenvolvimento de novos fluidos para gerenciamento térmico. Alguns lubrificantes, como fluidos de transmissão e graxas, continuarão a ser usados, mas terão que ser reformulados para atender a novos requisitos de desempenho, como condutividade térmica, resistência elétrica, compatibilidade de materiais e proteção aprimorada contra desgaste.



Os PCMOs são componentes-chave da emergência de EVs.


Independentemente das implicações negativas na demanda volumétrica de lubrificantes, a penetração de EVs tem um grande potencial para redefinir o mercado de lubrificantes acabados.

Do ponto de vista regional, espera-se que o aumento de EVs intensifique a demanda estagnada de PCMOs em mercados maduros, principalmente na Europa e na América do Norte. Por outro lado, as economias emergentes na Ásia-Pacífico e na América Latina provavelmente continuarão a crescer mesmo em níveis projetados de alta penetração de EVs, impulsionados principalmente por vendas significativas de veículos novos e pelo forte desempenho econômico no caso da primeira, e devido à baixa penetração projetada de EVs, no caso da última.

O mercado de reposição automotiva também está se adequando a uma nova era de mobilidade elétrica e compartilhada. As oficinas franqueadas pelos fabricantes são as maiores beneficiárias do aumento da penetração de veículos elétricos, visto que a manutenção de veículos elétricos será um mercado puramente do tipo "faça para mim" (DIFM, Do It For Me). Muito provavelmente, os clientes não vão trocar os fluidos EV por conta própria, e, portanto, procurarão esses serviços em oficinas autorizadas pelo fabricante original.

A tecnologia digital também foi impulsionada pela pandemia, com adoção de concessionárias de carros digitais ganhando força significativa durante esse período. Os serviços de manutenção preditiva, inteligentes e conectados oferecidos em EVs com sensores de diagnóstico integrados e algoritmos para alertar o proprietário do carro sobre quando trocar o PCMO estão se tornando o novo padrão.

Dada a incerteza inerente das perspectivas de longo prazo, é importante olhar além dos números puros do mercado e prestar atenção às mudanças mais amplas no mercado, entendendo as implicações para a cadeia de valor em diferentes cenários. Os players ágeis, operando sob um conjunto equilibrado de estratégias de diferenciação de produtos, articuladas para a crescente necessidade de um futuro mais verde, inteligente e conectado, ganharão uma vantagem competitiva imbatível.

 

O relatório da Kline “The PCMO Market in 2040: A Long-term Outlook” ajuda os comerciantes de lubrificantes a identificar oportunidades e desafios no setor de PCMO. Já o relatório “Electric Vehicles Fluids: Market Anlysis and Opportunities”, ajuda a entender a evolução do mercado de fluidos para veículos elétricos no contexto das tecnologias EV emergentes, sua penetração no mercado geral e os requisitos para a sua composição.

Para mais informações sobre esses mercados e sobre os relatórios citados acima, fale conosco por meio dos contatos listados abaixo.


(11) 3624-8719 / 3624-8718

contato@factorkline.com.br


VEJA NOSSAS REDES

  • Instagram - Black Circle
  • LinkedIn - Black Circle
  • Facebook - Black Circle

CATEGORIAS:

ARTIGOS RECENTES: