© 2016 Factor-Kline

  • LinkedIn - Black Circle
  • b-facebook
Please reload

ARTIGOS RECENTES: 

SIGA-NOS

  • LinkedIn - Grey Circle
  • Facebook - Grey Circle

Projeção de crescimento de 1,8% no mercado de óleos de processo de borracha, até 2028

 

O consumo global de borracha, que aumentou cerca de 3% nos últimos cinco anos, deverá ser de aproximadamente 2% por ano nos próximos 5 a 10 anos, à medida que a demanda por novos pneus aumenta em um ritmo mais lento que anteriormente. A previsão é que isso afete negativamente o crescimento do mercado de pneus; no entanto, espera-se que a demanda por outros produtos de borracha, como calçados, brinquedos, tubos, mangueiras e correias, entre outros, cresça e impulsione a demanda por óleo de processo de borracha (RPO). Além disso, existe uma nova tendência para diminuir o uso de RPO, com a produção de pneus mais leves, gerando uma menor demanda por borracha e RPO. E como os pneus utilizam a maior quantidade de borracha e RPO, a demanda por RPO deve crescer lentamente nos próximos cinco a dez anos. Nosso relatório de inteligência de mercado  “Global Rubber Process Oils: Market Analysis and Opportunities”  mostra que o mercado global de RPO foi estimado em aproximadamente 3,3 milhões de toneladas em 2018.

 

Em termos de segmentos de produtos, os aromáticos DAE, TDAE, RAE, TRAE, e MES são o maior segmento, correspondendo a cerca de 52% da demanda total. Aromáticos são seguidos pelos RPOs naftênicos e parafínicos, que representam 31% e 17% da demanda total, respectivamente. Mas, precisamos levar em consideração que, desde 2013, os aromáticos perderam cerca de 5% do share de mercado, uma vez que os fabricantes de pneus e outros artigos de borracha procuram alternativas para os aromáticos. Isso se deve principalmente à proibição do DAE na União Européia que forçou os fabricantes de pneus e outros fabricantes de borracha a usar TDAE e RAE. Além disso, outras regiões como a Ásia também estão migrando para “óleos mais naturais” com menos Hidrocarbonetos Aromáticos Policíclicos (HAPs). O TDAE é a melhor alternativa disponível para o DAE, enquanto o RAE não apresenta um bom desempenho. O RAE é mais usado em pneus para caminhões e correias transportadoras, enquanto o TDAE, em pneus para carros de passeio. Como resultado, os fabricantes de produtos de borracha estão adotando cada vez mais RPOs parafínicos e naftênicos. Os RPOs naftênicos são um bom substituto para TDAE e RAE, pois oferecem desempenho e disponibilidade sólidos. Os fornecedores naftênicos incluíram de 5% a 6% de conteúdo biológico para melhorar a polaridade das formulações.

 

Os EUA e a China são os maiores mercados de RPO do mundo, seguidos pela Índia, Japão, Coréia do Sul e Alemanha. Indonésia, Tailândia, Rússia, Turquia e Brasil são os próximos, seguidos pela Malásia, França, Polônia e Itália. Juntos, os 15 países estudados no relatório representam mais de 75% da demanda global de RPO.

 

 

Na maioria dos países, a indústria é dominada por fornecedores locais, mas alguns países trabalham com um mercado único como a União Europeia e alguns países da Ásia. No entanto, mesmo nesses mercados, os players locais têm uma presença significativa no mercado. Assim, a dinâmica local afeta o mercado em grande medida. As empresas de pneus também preferem fornecedores locais por garantia de fornecimento e assim também, priorizam os RPOs disponíveis localmente.

 

A Kline observa duas tendências emergentes no mercado. A primeira é o surgimento de bio RPOs. Atualmente, a demanda dos bio RPOs é vista apenas na Europa, onde a demanda é extremamente baixa (menos de 1 KT na maioria dos mercados). No entanto, a demanda por bio RPOs deve crescer à medida que as empresas de pneus adotam cada vez mais os bio RPOs para atingir suas metas de sustentabilidade. A Kline estima que o mercado de bio RPOs cresça aproximadamente 5% por ano, quase três vezes mais do que o crescimento da demanda global de RPO; no entanto, o crescimento vem de uma base pequena. Muitos fornecedores de RPO também devem lançar bio RPOs para atender a essa crescente demanda. Por exemplo, a Nynas lançou recentemente o Nytex Bio 6200, um RPO de base biológica para fabricantes de pneus. E a H&R lançou a linha Pionier TP 130, a base de derivados de sementes oleaginosas.

 

A integração do mercado RPO a um único mercado global foi a outra tendência notada; no entanto, o processo é lento. É importante entender que o mercado de RPO é um mercado regional, com cada região apresentando diferentes misturas de produtos e dinâmicas. Por exemplo, os Estados Unidos são principalmente um mercado de RPO naftênico e parafínico, enquanto a Ásia e a Europa são principalmente mercados aromáticos. Até mesmo a Ásia e a Europa são diferentes, já que o TDAE é o principal RPO na Europa, enquanto o DAE é o principal na Ásia. Isso ocorre devido a uma proibição de DAE na União Europeia que levou à crescente demanda por substitutos. Como o TDAE é o melhor substituto disponível para o DAE, a maior parte do mercado europeu passou a usar o TDAE. Na Ásia, os fabricantes de pneus que exportam para a Europa também começaram a usar substitutos do DAE, como o TDAE, para fabricar pneus que foram exportados para a Europa. No entanto, eles continuaram a usar o DAE, mas apenas para mercados domésticos. Isso criou uma distorção no mercado, já que o TDAE se tornou o principal RPO na Europa, enquanto o DAE permaneceu como o principal RPO na Ásia. Espera-se que esta situação mude, uma vez que os fabricantes de pneus acreditam que alguns países, como a Malásia e a Tailândia, podem emitir regulamentos semelhantes aos da União Europeia para proibir ou restringir o uso de DAE em favor de óleos com menor HAP. Isso poderia reduzir a distorção no mercado; no entanto, o impacto será limitado, uma vez que os dois principais mercados asiáticos de DAE - China e Índia - não pretendem introduzi regulamentos que proíbam ou restrinjam o DAE. Mas, isso ajudará a reduzir a distorção no mercado.

 

Além disso, a demanda por Óleos Básicos de Grupo I está caindo globalmente, levando ao fechamento ou aprimoramento das refinarias de Óleos Básicos de Grupo I. Os RPOs aromáticos são produzidos a partir de extratos que são produzidos como subprodutos nas refinarias de Óleos Básicos de Grupo I. Como resultado, espera-se disponibilidade de extratos e, com isso, que os RPOs aromáticos se tornem um problema de médio a longo prazo. Isso está forçando os fabricantes de pneus e produtos de borracha a buscar alternativas e deve impulsionar a demanda por RPOs naftênicos e parafínicos. Alguns fabricantes de pneus já estavam mudando para os RPOs naftênicos, já que esses RPOs têm bom desempenho e disponibilidade.

 

Com base nas tendências acima, a Kline estima que o mercado de RPOs global cresça a uma taxa anual de 1,8% durante 2018-2028, liderado pelo mercado asiático, que deverá crescer 2,7% ao ano.

 

Confira nosso relatório de inteligência de mercado, “Global Rubber Process Oils: Market Analysis and Opportunities” que explora oportunidades de mercado para óleos de processo de borracha.

 

Para mais informações, entre em contato com a Factor-Kline

Fonte: Kline & Co

 

 

Please reload

CATEGORIAS: