Crescimento Exponencial na Demanda por Lubrificantes de Grau Alimentício na China e na Índia

O consumo de lubrificantes de grau alimentício pode atingir novos máximos na China e na Índia, de acordo com a primeira pesquisa da Kline dentro dessa indústria. “Espera-se que ocorra um crescimento acelerado no consumo de lubrificantes de grau alimentício nos próximos cinco anos”, diz Sushmita Dutta, gerente de projetos do setor de energia da Kline. “O aumento na conscientização do consumidor, o fortalecimento da supervisão e o cumprimento das regulamentações pelos governos desses países e o aumento no número de fábricas de processamento de alimentos e bebidas em 2020 representam apenas alguns dos fatores que impulsionam o crescimento nesses dois mercados.”


Em adição ao seu uso para comida e bebidas, os lubrificantes de grau alimentício são encontrados em quantidades significativas nas indústrias de fármacos e de embalagens. A Índia testemunhou um crescimento na sua indústria farmacêutica – que é a terceira maior do mundo em termos de volume de produção, a 14a maior em valor e a 12a maior em exportação de produtos médicos. O país também possui uma forte presença na indústria de embalagens, com mais de 22.000 empresas de embalagens registradas.


Impacto do COVID-19


Nenhuma das categorias de lubrificantes de grau alimentício foi afetada pelo COVID-19 em 2020. Embora a taxa de crescimento da indústria tenha caído ligeiramente em comparação com os anos anteriores, isso ocorreu devido exclusivamente a interrupções na cadeia de abastecimento relacionadas à pandemia. Os produtos para os quais os lubrificantes de grau alimentício são usados ​​- alimentos e bebidas processados ​​e produtos farmacêuticos, entre outros - são exigidos na vida cotidiana por atenderem a necessidades básicas. Assim, os lubrificantes de grau alimentício são considerados à prova de recessão.


A pandemia e os consequentes lockdowns, causaram uma mudança no comportamento do consumidor em direção à comidas prontas, congeladas, embaladas e instantâneas. Essa tendência, além de não mostrar sinais de redução, provavelmente crescerá muito mais. Consequentemente, estima-se que o processamento e a produção desses produtos alimentícios aumentem, impulsionando ainda mais a demanda por lubrificantes de grau alimentício nos próximos anos.


Quem serão os beneficiários desse crescimento?


Existem grandes oportunidades de crescimento para fornecedores de lubrificantes de grau alimentício na China e na Índia, onde o mercado ainda está em seu estágio inicial.


Na Índia, os principais fornecedores são a FUCHS, a Klueber Lubrication e a ExxonMobil. Como já possuem produtos certificados e relacionamentos de longa data com empresas de bens de consumo, elas serão as mais beneficiadas. Na China, a FUCHS, a HollyFrontier (por meio da Petro-Canada Lubricants), a ExxonMobil, a Klueber Lubrication e a TotalEnergies são os principais fornecedores. Além disso, as gigantes chinesas de lubrificantes, a Sinopec e a CNPC, começaram a produzir alguns dos lubrificantes de grau alimentício - ambas as empresas já têm uma participação considerável no mercado geral de lubrificantes do país. JAX Inc e Lubriplate, fornecedores sediados nos Estados Unidos e com experiência em lubrificantes de grau alimentício, tiveram sucesso no fornecimento não apenas nos Estados Unidos e na Europa, como também na China.


Para avaliações adicionais sobre o mercado de lubrificantes de grau alimentício e as oportunidades na China e na Índia - junto com os nossos insights sobre cinco outros mercados líderes em todo o mundo - assine o relatório inaugural da Kline sobre a indústria, “Food-grade Lubricants: Analysis of Major Markets”.


Para informações sobre esse mercado no Brasil, entre em contato com a Factor Kline através dos números 11-3624-8719 / 3624-8718, ou nos contate via e-mail em contato@factorkline.com.br.




SIGA-NOS

  • LinkedIn - Grey Circle
  • Facebook - Grey Circle

CATEGORIAS:

ARTIGOS RECENTES: