Demanda Por Fragrâncias Para Ambiente Deve Seguir Alta no Pós-Pandemia

A pandemia fez renascer a indústria de fragrâncias caseiras, à medida que os consumidores começaram a passar mais tempo em seus espaços pessoais, seja por conta do home office ou do estudo à distância. Enquanto era concluída a pesquisa sobre este mercado dinâmico para 23ª edição da série de relatórios “Fragrâncias Domésticas: Resumos do Mercado dos EUA”, a Kline previu que o mercado alcançaria um aumento de 17% ou mais nas vendas no varejo, com velas superando notavelmente o resto do mercado. No caso, o mercado de fragrâncias caseiras registrou um crescimento relativamente estável, com um aumento médio de 3,5% nas vendas anuais de 2014-2019. Em 2020, o contexto era significativamente mais favorável, pois o aumento sem precedentes na demanda por velas, juntamente com os consumidores gravitando na direção de produtos maiores e, portanto, de faixas de preços mais altas, apesar do clima econômico, levou a um aumento imprevisível e surpreendente das vendas no mercado.


As promessas de bem-estar, autocuidado e melhorias na casa inspiraram os consumidores a usar esses produtos durante a quarentena em abril e maio, que costumam ser meses mais lentos no comércio de velas em comparação com a temporada de férias. Profissionais de marketing de luxo como NEST e LAFCO, tradicionalmente vendendo produtos em lojas de departamentos e canais de presentes e especialidades, foram repentinamente encarregados da capacidade de atuar online conforme o mercado observava uma nova onda de vendas através do e-commerce. Enquanto isso, o movimento em lojas de varejo essenciais como a Target também era significativo, com produtos esgotando rapidamente ao passo que entusiastas de velas e compradores de fragrâncias caseiras estocavam esses produtos enquanto compravam produtos básicos do dia a dia.




Mesmo depois que o varejo não essencial começou a reabrir, a demanda por aromas caseiros permaneceu alta, favorecendo as vendas em lojas físicas no segundo semestre do ano por meio de outlets como as lojas Bath & Body Works. Além disso, as vendas pelo e-commerce continuaram populares, dando visibilidade especialmente a marcas emergentes como Boy Smells e OTHERLAND, assim como marcas de celebridades como KKW FRAGRANCE – todas entrando no mercado de alto crescimento.


No Brasil, o mercado de “fragrâncias” que mais pareceu crescer foi o de aromaterapia, estimulando o consumo de óleos essenciais. Segundo dados divulgados pelo Sebrae, a produção brasileira de óleos essenciais equivale a 13,5% da produção global, ou seja, aproximadamente 6 mil toneladas. Além disso, acredita-se que o mercado na América Latina crescerá cerca de 10% nos próximos quatro anos. Esse crescimento não é isolado: de fato, acompanha a expansão do mercado de produtos naturais para cuidados pessoais, uma vez que os óleos essenciais são produzidos a partir de produtos naturais, cada um voltado para uma aplicação específica: alfazema para estimular o sono, patchouli para ansiedade crônica, alecrim para revigorar e estimular a mente, entre outros. Apesar da aplicação dos óleos poder ser realizada por meio de banhos e massagens, a via principal de ação deles é por meio da inalação, de modo direto ou a partir de difusores.


Qual o Cenário de 2021?


O crescimento se manteve e as marcas estão diversificando a distribuição estrategicamente. Por exemplo, o guru de fragrâncias caseiras Harry Slatkin se expandiu para a Home Depot com sua marca AromaHome by HS Worx, alcançando consumidores que atualizaram/ remodelaram suas casas durante a pandemia e provavelmente manterão seus hábitos caseiros até certo ponto, no curto prazo. Os comerciantes de fragrâncias caseiras, como Gibson & Dehn, também estão expandindo seus horizontes e se voltando para áreas que mudam rapidamente, como cuidados pessoais e cuidados com o corpo. Além disso, marcas de beleza estão vendo oportunidades na área de home care, com marcas como Aēsop e KOPARI fazendo sua estreia na categoria de velas.


Apesar da energia contínua do mercado, ainda existem dúvidas sobre qual impacto o aumento das viagens, o retorno ao local de trabalho e a escassez de materiais como vasos de vidro para velas (que começaram no segundo semestre do ano passado) terão no desempenho do mercado em 2021 e 2022. O relatório Kline's Home Fragrances: US Market Brief (Fragrâncias Caseiras da Kline: Resumo do Mercado dos EUA, em tradução livre), que foi publicado no final de junho, antecipará esses desafios com uma perspectiva por ano, até 2025, para o mercado total e por categoria de produto, incluindo velas, difusores, sprays de ambiente, óleos de fragrâncias e ceras.


Para mais projeções sobre o mercado de Home Fragrances no Brasil e no mundo, entre em contato com a Factor Kline através dos números 11-3624-8719 / 3624-8718, ou nos contate via e-mail em contato@factorkline.com.br.

SIGA-NOS

  • LinkedIn - Grey Circle
  • Facebook - Grey Circle

CATEGORIAS:

ARTIGOS RECENTES: